5 dicas para cuidar de sua moto durante a quarentena

Campanha incentiva motociclistas a deixar a moto na garagem, mas é preciso ter cuidados ao “isolar” sua companheira na garagem

Pilotos e personalidades do mundo das duas rodas têm feito uma campanha, encabeçada pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM), para que os motociclistas deixem suas motos na garagem. Com a hashtag #RidersAtHome (pilotos em casa, ou motociclistas em casa, em tradução livre), a FIM quer reforçar a mensagem das autoridades de saúde de todo o mundo para que as pessoas fiquem em casa para combater a disseminação do novo coronavírus.

Afinal, andar de moto sem necessidade significa se expor a um risco desnecessário em um momento de pandemia como o que vivemos. “Embora ainda seja permitido pilotar em alguns países – a FIM está solicitando que todos os motociclistas mantenham suas motocicletas estacionadas para reduzir o risco de acidentes e lesões que poderiam ocupar recursos valiosos de saúde durante um período em que já estão sob grande pressão”, explica comunicado da Federação.

Mas para “isolar” sua moto ou sua scooter é preciso tomar alguns cuidados para que, quando isso tudo passar e você precisar andar em duas rodas por aí, sua companheira esteja pronta e não deixe você na mão. Conversamos com mecânicos que deram dicas valiosas sobre como cuidar da sua moto nessa quarentena.

Foto: Divulgação.

1 – Protegida e lubrificada

Já que sua moto ou scooter vai ficar parada na garagem use uma capa para protegê-la – sobretudo se você tem cachorro em casa, pois os bichinhos de estimação podem morder as partes plásticas ou urinar nas rodas, o que pode causar corrosão nelas e nos raios.

Antes de deixar sua moto estacionada, lembre-se também de lubrificar a corrente, com um produto especial para isso, que tem fixador e não prejudica os retentores de borracha nem acumula resíduos.

2 – Pneus e cavalete central

O mecânico Alexandre Sauro, da Iron Machine, oficina de motocicletas, localizada no Brooklin, Zona Sul da capital paulista, também diz ser importante não deixar os pneus murchos. “Calibre com a pressão indicada no manual do fabricante. Se possível, apoie sua moto no cavalete central, para não sobrecarregar os pneus e dar ‘repouso’ ao amortecedor traseiro”, aconselha.

3 – Bateria

O item que mais precisa de atenção, enquanto sua scooter ou moto estiver parada, é a bateria. Por falta de uso, ela pode perder a carga e não ter capacidade de dar partida quando você precisar.

Para evitar isso, o ideal é ligar a moto e dar algumas voltas no quarteirão para que o sistema elétrico recarregue a bateria – mas isso só é possível se você reside em um condomínio fechado ou em um bairro tranquilo. “Não adianta nada ligar a moto e deixar ela parada na garagem. Isso vai gastar ainda mais a carga”, avisa Alexandre.

Para evitar isso, o mecânico recomenda que você desligue o polo negativo da bateria – ou seja, aquele que tem o sinal de subtração (-). Isso vale para motos em que a bateria esteja ao alcance do motociclista. Caso você não consiga fazer isso, outra opção é colocar o descanso lateral ou o cavalete central sobre uma tábua de madeira, para isolar a moto e evitar a fuga de carga da bateria, ensina Tiago Peruci, responsável técnico da MXF Motors,
distribuidora da marca MotoBatt.

Ainda é possível adquirir um mantenedor de bateria que custa entre R$ 120 e R$ 150. Trata-se de um aparelho ligado à tomada comum que mantém a carga da bateria na medida ideal. “Os carregadores flutuantes desligam quando a bateria atinge a carga ideal, por isso podem ficar ligados, mas é preciso ter uma tomada por perto, o que não acontece com quem mora em prédios”, explica Alexandre Sauro.

4 – Motos carburadas exigem atenção redobrada

Se a sua moto ou scooter tiver carburador e não injeção eletrônica (geralmente indicada pelas letras “F e I”), é preciso redobrar o cuidado. O mecânico esclarece que a gasolina pode envelhecer e entupir o sistema de carburação.

Para evitar isso, o ideal é fechar a torneira de reserva e deixar o motor funcionando até que o combustível da cuba do carburador acabe. “Dessa forma, evita-se que a gasolina forme uma ‘borra’ e entupa o carburador”, explica Alexandre.

5 – Documentação

No caso da documentação, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) interrompeu o prazo de alguns processos e procedimentos e os Departamentos de Trânsito (Detran) dos estados suspendeu o atendimento presencial em suas unidades para evitar aglomerações.

Desde 20 de março, o prazo para conclusão do processo de habilitação passou de 12 para 18 meses. Prazos para defesa de autuação, recursos de multa, indicação do condutor, defesa processual, recursos de suspensão de direito de dirigir e cassação do documento de habilitação, ficam interrompidos por tempo indeterminado.

Também fica interrompido, por tempo indeterminado, os prazos para que o condutor possa dirigir com Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde 19/02/2020. Este prazo aplica-se também para a Permissão de Dirigir (PPD) e para expedição de Certificado de Registro de Veículo (CRV) em caso de transferência de propriedade de veículo adquirido desde 19/02/2020 e registro de licenciamento de veículos novos – desde que ainda não expirados.

Vale lembrar que o prazo para recolher o IPVA e fazer o licenciamento ainda estão valendo, pois, esses serviços podem ser feitos online – e o envio dos Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) exercício 2020 é feito pelos Correios. No portal do Detran SP, é possível realizar mais de 40 serviços online, em caso de dúvidas, o cidadão deve acessar “Dúvidas Frequentes”, na página inicial do portal do Detran SP.

Fonte: Estadão

%d blogueiros gostam disto: