Como funciona motor flex de moto

Desenvolvido especialmente para o mercado nacional, em 2009 a Honda foi a responsável por lançar a primeira motocicleta do mundo a vir equipada com um motor flex. Esse tipo de motor pode rodar com gasolina, etanol ou a mistura dos dois em qualquer proporção.

A motocicleta escolhida na época foi a CG Titan 150 Mix, que levava esse nome justamente por permitir a mistura de combustíveis. Hoje a tecnologia está presente em oito motos da fabricante (Biz 125, CB Twister, CG 160 Titan, Fan e Cargo, NXR 160 Bros, XRE 190 e XRE 300.

Apesar de que em quase todo país o uso do etanol (combustível natural) não compensar no lado financeiro, em comparação com a gasolina (combustível fóssil), sua utilização é muito mais “verde” e limpa.

CG150-titan-mix-01

Como funciona um motor Flex de moto

O sistema flex possui um módulo de controle eletrônico, denominado ECM (Engine Control Module, na sigla em inglês). Interligado a sensores que monitoram o funcionamento do motor, ele determina o tempo ideal de injeção de combustível.

Há ainda um outro sensor que mede a quantidade de oxigênio resultante da combustão. Assim, o módulo identifica qual combustível está sendo utilizado, baseado em quatro mapas pré-programados de funcionamento: etanol, gasolina, maior proporção de etanol do que gasolina e, por fim, maior proporção de gasolina do que etanol.

Com essas informações, o ECM comanda o injetor de combustível a trabalhar com a quantidade correta de combustível e assim permite que a motocicleta seja abastecida totalmente com um dos combustíveis ou com a mistura em qualquer proporção dos dois.

motor-flex-honda-01

Completando 10 anos da tecnologia flex em motocicletas, transformando a Honda pioneira, o projeto, desenvolvido no Japão com participação de engenheiros brasileiros, teve como objetivo a criação de um motor com o menor impacto possível ao meio ambiente.

O etanol é um combustível de fonte natural, renovável e disponível em grande escala no Brasil. Além disso, durante seu crescimento, a cana de açúcar absorve da atmosfera o dióxido de carbono necessário para o processo de fotossíntese.

O motor flex para motocicletas foi desenvolvido especialmente para o mercado nacional. Desde 2009, quando a tecnologia foi implantada, mais de 6 milhões de unidades FlexOne já saíram da linha de produção da fábrica da Honda de Manaus (AM).

CG150-titan-mix-00

“A Honda foi pioneira em apresentar ao mercado essa importante inovação tecnológica, que teve uma excelente aceitação dos brasileiros. As motocicletas flex colaboram com os esforços da marca para a concretização de uma sociedade livre de emissões de CO2”, afirma Alexandre Cury, Diretor Comercial da Moto Honda da Amazônia.

Quando o consumidor opta pelo uso do etanol ao invés do combustível fóssil, ajuda a reduzir em até 90% a emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, além disso o motor flex desenvolvido pela Honda libera 10% menos monóxido de carbono.

E aí, vai de gasolina, etanol ou a mistura dos dois?

CG150-titan-mix-02
CG150-titan-mix-04
%d blogueiros gostam disto: