Conheça seis modelos para viajar confortavelmente sem abrir mão de desempenho no asfalto

O conceito crossover se difundiu nos últimos anos somando a posição de pilotagem elevada e confortável da big trail ao conjunto de rodagem para asfalto. Hoje há opções de 500cc a 1.200cc, mas até o lançamento das linhas 2016 a categoria de 800cc contava apenas com a Ducati Hyperstrada e seu motor V2. A Yamaha acaba de somar a alternativa da MT-09 Tracer, com o mesmo tricilíndrico da versão naked, que passa a ser a crossover mais acessível com potência superior a 100 cv e capacidade de atingir 100 km/h na casa dos 3 segundos. Pensando nisso, selecionamos seis modelos – de 2, 3 e 4 cilindros – capazes de levar piloto e garupa com conforto e desempenho.

Yamaha Tracer – R$ 45.990

Mesclar o conforto das big trails com a esportividade das nakeds em modelos orientados para o asfalto é a nova onda das fabricantes de motos. A Yamaha, além de aderir a essa tendência crossover, adicionou um ingrediente bem-vindo à mistura: o DNA da família MT. O resultado é a MT-09 Tracer, que utiliza a mesma base da naked, mas incorpora elementos focados nas viagens mais longas, como a carenagem parcial, para-brisa e protetores de mão.

O propulsor da Tracer é um tricilíndrico de 847 cm³ com tecnologia crossplane, que equipa a MT-09. Números de desempenho também não mudam: 115 cv de potência máxima a 10.000 rpm com torque máximo de 8,9 kgf.m atingido nos 8.500 giros. As diferenças começam a aparecer no tanque de combustível com capacidade para 18 litros – quatro a mais do que na naked – e passa pela semi-carenagem dianteira até chegar a traseira mais alta, desenhada para receber malas laterais opcionais.

Na ergonomia a Tracer mostra o quanto é diferente. Nela, o piloto encontra uma postura mais confortável do que a da naked e vai acomodado em um assento bipartido, cuja altura pode ser ajustada entre 84,5 e 86 cm do solo. O mesmo vale para o guidão de alumínio, que permite duas posições: mais recuado ou mais à frente, de acordo com a estatura e preferência do condutor. O conforto da garupa também recebeu atenção e traz um assento mais espesso e alças de apoio mais altas e acessíveis.

n2

n3

Triumph Tiger Sport – R$ 45.990

A nova Triumph Tiger Sport começou a ser vendida no ano passado aqui no Brasil. O novo modelo inglês está equipado com o tradicional motor tricilíndrico de 1050cc capaz de gerar até 125 cv de potência máxima a 9.400 rpm e torque máximo de 10,6 kgf.m obtidos aos 4.300 giros. No visual, a Tiger Sport abriu mão do estilo off-road de suas irmãs de 800 e 1200cc para adotar linhas mais esportivas e proposta urbana coroadas pela carenagem robusta em torno do tanque e o estiloso monobraço, que segura a roda traseira.

No quesito ergonomia, a Triumph pensou nos pilotos de menor estatura, com o assento de 830 mm de altura. Amplo e largo, ele proporciona conforto para viagens – feitas unicamente pelo asfalto, já que o modelo “se perde” na terra. Esse conjunto faz da Tiger Sport mais uma opção para viajar com conforto e munido de potência.

n4

n5

Ducati Hyperstrada – R$ 49.900

A Ducati trouxe diversas novidades estéticas e mecânicas para a última geração da família Hypermotard. A principal delas foi a adoção do motor Testastretta 11°, bicilíndrico em L com 821 cm³ e refrigeração líquida – a família ainda traz um completo pacote eletrônico, chamado de Ducati Safety Pack (que integra acelerador eletrônico com três modos de pilotagem, controle de tração e freios ABS com diversos níveis de atuação).

No motor, a Hyperstrada entrega 110 cavalos de potência (a 9.250 rpm) e 9,1 kgf.m de torque, força o suficiente para acelerações vigorosas desde as 4.000 rpm. O modelo ainda traz diversos itens opcionais para diferenciar a Hyperstrada da Hypermotard: há (de série) duas malas laterais semi-rígidas (com capacidade de 26 litros cada, que podem ser retiradas), cavalete central para facilitar a manutenção, banco mais largo, baixo e confortável, guidão 2 cm mais alto e um pequeno para-brisa.

n6

n7

Versys 1000 – R$ 53.990

A Versys 1000 está equipada com o mesmo motor da naked Z1000, de 1.043 cm³, no entanto ela tem acerto um pouco mais suave de entrega de torque, privilegiando baixas e médias rotações. Ainda assim, dispõe de expressivos 120 cv de potência e 10,4 kgfm de torque, além da capacidade de girar a até 10 mil rpm. Entre as novidades no modelo renovado em 2015, além do design, estão mudanças no chassi, painel de instrumentos, suspensões, freios, embreagem, controle de tração, novos equipamentos, etc. Ou seja, uma moto quase inteiramente nova.

Seguindo a linha crossover, a Versys 1000 vem com rodas e pneus de moto esportiva, aros 17″. O banco é bastante largo e confortável (mesmo para a garupa), enquanto o bagageiro traseiro já vem com suporte para instalação de bolsas laterais e de um baú de 47 litros (vendidos como acessório). Já a posição mais alta do para-brisa é ideal para a estrada e ainda há a proteção das mãos. Para completar a aptidão estradeira, o tanque tem 21 litros de capacidade.

n8

n9

 

Ducati Multistrada 1200 – R$ 62.900

Um dos modelos mais vendidos e versáteis da Ducati, a sport-adventure Multistrada 1200 foi completamente reformulada ano passado. Ganhou um visual mais agressivo, recebeu um motor inédito e mais tecnologia embarcada. Melhorias que a deixaram mais potente, versátil e amigável. A principal inovação da aventureira italiana é, sem dúvida, o motor Testastretta DVT, agora com comando de válvulas variável. O pacote eletrônico também foi aprimorado: além dos modos de pilotagem, controle de tração e freios ABS, a Multistrada conta com piloto automático, assento com regulagem de altura e faróis de LED.

O novo motor tem mais torque e potência. São 10 cv a mais que a versão anterior: 160 cv de potência máxima a 9.500 rpm. O torque, aumentado em cerca de 10%, agora é de 13,9 kgf.m a 7.500 giros. Além da nova geração do motor e da eletrônica embarcada, a aventureira italiana apresenta uma ciclística bastante equilibrada e entrega muito conforto ao piloto e garupa.

nn2 nn1

BMW S 1000 XR – R$ 71.900

Imagine uma motocicleta que ofereça a emoção de um motor quatro cilindros com 160 cavalos de potência e o conforto de uma aventureira. A S 1000 XR reúne a força de seu motor de quatro cilindros em linha de 999 cm³ com uma ciclística mais versátil e uma posição de pilotagem confortável. O propulsor é o mesmo utilizado na versão naked, a S 1000R: oferece 160 cv de potência máxima a 11.000 rpm e torque de 11,4 kgf.m a 9.250 rpm.

A eletrônica embarcada é a mais completa possível: quatro modos de pilotagem, o mais moderno controle de tração DTC, ABS Pro de última geração e suspensão eletronicamente ajustável Dynamic ESA. O tanque de 20 litros e o parabrisa alto, ajustável em duas posições, completam as características para fazer da S 1000 XR uma boa companheira para longas viagens.

nn3

nn4

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *