Honda apresenta CBR 1000 RR Fireblade, X-ADV e SH300i

O lançamento de novos modelos acompanha a recuperação do mercado de motocicletas. A Honda apresentou no começo da semana, em Porto Alegre, quatro novos produtos. A CBR 1000 R Fireblade chega nas versões de passeio e competição. O scooter aventureiro X- ADVestreia no mercado brasileiro enquanto o SH300i tem nova opção de cor.

O gerente de Relações Públicas da Honda,  Marcel Dellabarba, destaca que o mercado de motos mostra sinais de recuperação e neste ano deverá crescer cerca de 7% como ocorreu em 2017. Apesar da evolução lembra que as vendas estimadas em 800 mil unidades serão menos da metade dos dois milhões de 2011. As novidades  e a queda das taxas de juros são importantes para os consumidores de motos e ajudam no segmento de baixa cilindrada. O executivo lembra  que os scooters ganham espaço pela mobilidade que oferecem nas cidades como alternativa ao transporte público.

Atualização no grafismo das carenagens reforçando a esportividade, redução no peso, motor mais potente e avançados recursos eletrônicos são os destaques da nova geração da Honda CBR 1000RR Fireblade 2018. A moto ficou 15 quilos mais leve e o propulsor ganhou 11 cv em relação ao modelo anterior.  A Honda revela que 90% dos componentes são novos, inclusive os conjuntos ciclísticos e mecânicos derivados da RC 213VS, versão de rua da RC 213 utilizado na categoria MotoGP.

As duas versões disponíveis no mercado brasileiro –  CBR 1000 RR Fireblade e CBR 1000 RR Fireblade SP – são diferenciadas por componentes na estrutura ciclística e mecânica.  Inspiradas nas pistas, completam 25 anos. A nova geração  foi desenvolvida para oferecer pilotagem com segurança, prazer e domínio do piloto sob a máquina.  A redução de peso incluiu itens como parafusos, arruelas e pequenas peças plásticas. Na CBR 1000RR Fireblade SP, o escape e tanque de combustível são em titânio, composto mais leve e resistente.

O design da CBR 1000RR valorizou o visual esportivo, que remete aos modelos de competição,  e privilegiou o menor arrasto aerodinâmico e a maior proteção contra o vento, dentro de três premissas.   Menor peso, mais potência e controle total. As carenagens ficaram menores, mais justas e mais compactas. Também foi melhorada a refrigeração do motor e mais entrada de ar nos dutos dos radiadores, nas laterais dos faróis e lanternas.

O visual da CBR 1000RR Fireblade ficou mais agressivo e esportivo com linhas linhas limpas e retas que convergem na dianteira da moto como a ponta de uma flecha. A rabeta elevada e o assento em dois níveis, com altura de 832mm (834mm SP) transmitem o DNA esportivo.

A nova geração traz recursos como uma unidade de medição de inércia (IMU) de cinco eixos que analisa a moto em todos os planos e comanda o sistema TCS de controle de torque regulável (HSTC). Garante precisão a tração enviada à roda traseira, por meio da ECU do sistema de injeção e do acelerador eletrônico.  Os freios ABS tem controle de elevação da roda traseira e o modo de condução libera potência adequada por meio da resposta ao acelerador garantindo o  controle em situações adversas.

O quadro de instrumentos digital (LCD) conta com hodômetro total e parcial, consumo médio e instantâneo, velocímetro, tacômetro, luzes de alerta e de avisos. O visor LCD mostra informações dos parâmetros eletrônicos de assistência que são ajustáveis com o gosto e tipo de uso do condutor. A adequação do quadro à luz ambiente é automática.

Uma central eletrônica ajusta parâmetros de  potência do motor, controle do torque e o controle do freio-motor. A função Mode permite selecionar cinco modos de pilotagem. Os três primeiros – Street (Modo 3),  pilotagem mais suave e conforto; Winding (Modo 2),  pilotagem mais esportiva e equilibrada; e Track (Modo 1), força e desempenho e também pode ser desligado.

Os modos 4 e 5 permitem personalizar determinadas configurações e os parâmetros podem ser gravados na memoria. São cinco para potência e nove para força (torque). Na Fireblade SPainda é possível configurar a suspensão semiativa em seis níveis de ajuste e  o freio-motor em três. Todas as informações do modo de condução são mostradas no quadro de instrumentos.

A alta tecnologia da CBR 1000 RR  integrou seus componentes e as medições dinâmicas. Nas configurações mais automatizadas. A unidade de medição de inércia (IMU) trabalha com o controle de tração (HSTC), módulo ABS e sensores nas rodas dianteira e traseira. Os recursos  integrados, dependendo o modo de condução, impedem que a  aceleração tire a roda da frente do solo, ou faça a roda traseira escorregar em saídas ou entradas de curvas. Nas  retomada de velocidade ou  frenagens bruscas, a correção é instantânea e automática.

A nova CBR 1000RR pesa 196 quilos (195 quilos na versão SP). O quadro em alumínio tipo Diamond de dupla trave foi remodelado e teve peso reduzido. Na suspensão dianteira, o garfo telescópico do tipo invertido de 43 mm de diâmetro permite  ajustes na pré-carga da mola e curso de 120 mm. Na traseira, a suspensão tem curso de 62 mm e conta com amortecedor Showa ajustável.

Os freios ABS  de disco duplo na frente e simples atrás são Brembo (modelo SP) e Tokico (Standard). Na dianteira, as pinças são fixadas de forma radial. O amortecedor de direção eletrônico Honda (HESD) reforça a estabilidade e suavidade.  As rodas de cinco raios trazem pneus do tipo 120/70 R17 na frente e 190/50 R17 atrás.

A versão SP conta com suspensões exclusivas e desenvolvidas com a Öhlins. O  sistema  e os modos de condução são ajustados eletronicamente em todos os seus níveis, no painel da motocicleta. São seis níveis de ajustes da suspensão, sendo três manuais e outros três automáticos.

O motor de quarto cilindros em linha, 999,8 centímetros cúbicos, injeção eletrônica, a gasolina conta com acelerador eletrônico. São 192 cv (11 a mais sobre o anterior) a 13.000 rpm e força (torque) de 11,82 kgfm a 11.000 rpm. Redesenhado, o peso foi reduzido em dois quilos.  A taxa de compressão aumentou de 12,3:1 para 13:1.

A bateria da Fireblade SP é de Li-On.  A transmissão conta com sistema  que permite subir ou descer marchas mais rápidas, sem necessidade de acionamento no manete da embreagem.O tanque e o escape são em titânio. A transmissão de seis velocidades recebeu nova embreagem.

CBR 1000RR Fireblade, disponivel na cor vermelha, tem preço sugerido de  R$ 69.900.

 CBR 1000RR Fireblade SP, nas cores azul, branca e Vermelha, custa R$ 79.900.

Preços com base no Estado de São Paulo, sem despesas de frete e seguro.

 Importada do Japão, a nova CBR1000RR Fireblade tem três anos de garantia e  o  Honda Assistance 24h, com assistência durante todo o período de vigência da garantia em todo território brasileiro,  Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai.

%d blogueiros gostam disto: