A Kawasaki acaba de apresentar a “retro” Z900RS

A Kawasaki acaba de apresentar, no Tokyo Motor Show de 2017, a Z900RS. Uma “clássica moderna” de inspiração retro, construída em redor da Z900
A Z1 remonta aos anos 70 do século passado e foi a primeira tetracilindrica a 4 tempos da marca, e a predecessora da família Z da Kawasaki.

Nos idos de 1972, quando chegou aos mercados, já anunciava uma velocidade máxima de 210km/h. E efectivamente nesse mesmo ano foi sensação na América, quando bateu o recorde de velocidade nas 24 horas de Daytona, tendo registado uma média 176,4 km/h ao longo dos 4234 km da prova. E outra Kawasaki Z1, com preparação Yoshimura, estabeleceu o recorde da volta mais rápida à oval de Daytona, com um registo de 257,96 km/h.

A sua importância na cena motociclistica foi grande, tendo recebido o prémio de moto do ano em Inglaterra, entre 1973 e 1976, atribuído pelos leitores da revista Motorcycle News. Actualmente, a Z1 é oficialmente um dos 240 marcos da tecnologia automotriz japonesa.
Ao desenvolver a nova Z900RS a Kawasaki evoca a Z1, ao mesmo tempo que aproveitou para dar uns retoques no motor e no quadro da Z900, de modo a conseguir um resultado consequente com o estilo.
Assim, o motor tetracilíndrico de 948 foi “ajustado” para debitar um pouco menos de potência (“apenas” 111 contra os 125cv da Z900) e binário máximo, para ganhar mais capacidade de resposta a baixos regimes. As cabeças dos cilindros foram dotadas de aletas, numa evocação dos motores refrigerados a ar.

Na caixa de velocidades foi instalada uma primeira relação mais curta que favorece os arranques, e uma sexta relação mais longa para reduzir as vibrações alta velocidade. A embraiagem é igualmente assistida e deslizante.

O quadro de treliça de tubos de aço foi completamente redesenhado, primeiro para poder acomodar o novo depósito de combustível em forma de lágrima e segundo, para proporcionar uma posição de condução mais elevada e descontraída.

Mas a travagem também foi reforçada, com pinças monobloco de 4 pistões de instalação radial,  e a Z900RS adapta finalmente o sistema KTRC de controlo de tração, com dois modos de condução, inexistente na Z900, facto que dá a entender que, provavelmente, a versão de 2017 pode brevemente vir a sofrer um “upgrade”.

A “RS” (Retro Style) mantém a forquilha invertida de 41mm completamente ajustável que se destacava já na Z900, tal como o monoamortecedor traseiro a gás, que oferece regulação da Pré-carga e da expansão.
Ao nível estético, a Z900RS espelha elementos da Z1, como a baquet e o painel de instrumentos duplo, e ainda apresenta novas jantes de fundição de raios finos.
Outro aspecto interessante é o facto de o som do escape tipo megafone, ter sido afinado para fazer sobressair a potência do motor a baixa rotação. A Kawasaki afirma que é a primeira vez que recorre a este tipo de estratégia.

 

%d blogueiros gostam disto: