Motos voltam a rasgar o asfalto na terceira etapa do GP Gerais

Foram dois meses e meio de abstinência. Nem tanto de acelerar, já que no período houve treinos coletivos de preparação, mas de medir forças com os adversários, dividir curvas e freadas para valer. Pois nesse fim de semana pilotos e equipes voltam ao Circuito dos Cristais para a terceira das cinco etapas do GP Gerais, o Mineiro de Motovelocidade.

Se a segunda e a quinta etapas valem também pelo renovado Campeonato Brasileiro, o nível técnico nas demais não fica devendo já que, desde o início da competição, em 2016, feras de todo o país têm marcado presença, atraídos pelo desafio do traçado de 4.420m (desenhado e construído para ser referência em segurança para as motos) e pelo equilíbrio das disputas, favorecido pelo regulamento.

Na disputa pela ponta das categorias, uma interessante alternância entre pilotos da casa e ‘forasteiros’. Líder da Superbike Pro, com uma BMW S1000RR, Rodrigo Dazzi está entre os extremos já que, embora capixaba, participa da competição desde a primeira edição. Ele é seguido pelo carioca Alex Pires, com Cláudio Teixeira e Ian Testa em seguida.

Na subdivisão Evo (para motos 1.000cc com preparação mais restrita), quem comanda o pelotão é comandado por Pedro Lins, ainda invicto na temporada. Os xarás Túlio Resende e Túlio Leandro Souza aparecem em segundo e terceiro, separados por apenas quatro pontos.

Na Superbike Master, não tem para ninguém. Hoje o melhor do país entre os pilotos acima dos 45 anos, o valadarense Jirios Abboud, o “Bananeiro’ avança a voltas rápidas rumo ao tricampeonato. Ex-piloto de enduro e motocross, ele não só venceu as três etapas como é beneficiado pela falta de regularidade dos adversários, somando mais do dobro dos pontos que o perseguidor mais próximo.

Situação quase tão boa quanto a de Antônio Franzen na Supersport 600cc. Atualmente em terceiro na classificação do Brasileiro com a Kawasaki ZX6R da O2BH América Racing, ele chegou aos 67 pontos e à liderança do GP Gerais graças a uma vitória, um segundo e um terceiro lugar, – tem 25 de vantagem (o equivalente a um primeiro lugar) sobre Ricardo Juliani.

Talentos
Celeiro de novos talentos e com participação feminina destacada, a 300cc tem apresentado os maiores grids, com ótima disputa pela ponta entre Rodrigo Gregório (65 pontos), Diego Hillel (58) e Bruno Borges (50). Na Light, para os pilotos com menor experiência em competições, Willyans Suhr (600cc) e Ronan Dias (1.000cc) defendem a liderança. A etapa tem entrada gratuita com acesso aos boxes por R$ 10 (mais um quilo de alimento não-perecível)e movimentação na pista a partir das 8h30 do domingo.

 

%d blogueiros gostam disto: