Não é para quem quer, é só para quem pode

Exclusividade é valor, principalmente em segmentos premium. No universo das duas rodas, é cada vez mais comum modelos top de linha ganharem versões especiais em edições limitadas. De tão limitadas, algumas vezes nem sequer chegam ao Brasil. A Ducati, no entanto, não quis deixar o mercado brasileiro fora na hora de distribuir as 1.500 unidades produzidas de sua Panigale V4 Speciale. E separou três para nosso país, já anunciadas em pré-venda pela marca italiana por nada menos que R$ 269 mil.

O valor é alto, mas trata-se da primeira Panigale V4 a chegar ao Brasil, e, para reforçar a ideia de exclusividade, as 1.500 unidades que serão vendidas em todo o mundo são numeradas. E a chegada das motocicletas deve acontecer apenas daqui a cinco meses, ou seja, em meados de setembro. A Panigale V4 já mostrou ter uma função importante para a Ducati quando foi apresentada no Salão de Milão, no ano passado: aposentar a 1199 Panigale e a 1299 Panigale, que ainda usam motor de dois cilindros. Assim, um dos principais trunfos do modelo é o novo propulsor V4, um 1.103 cm³ com 226 cv e 174 kg de peso. O torque de 12,6 kgfm aparece em 10 mil giros, e a transmissão é de seis velocidades.

Efeito whelling

A versão Speciale tem 12 cv a mais que a versão V4 normal do modelo, apesar de usar o mesmo motor V4 de 90° com válvulas de acionamento desmodrômico e virabrequim contrarrotativo, que gira no sentido contrário ao movimento das rodas. Esse recurso reduz naturalmente o efeito whelling, de levantar a frente nas acelerações bruscas, e permite que a moto seja mais ágil nas mudanças de direção. Essa foi a primeira vez que essa arquitetura de motor, com quatro cilindros em V, foi adotada em uma moto de produção da marca italiana.

Projetada para as pistas de competições, a Speciale também recebe para-lamas de fibra de carbono, banco revestido de alcântara, pedaleiras ajustáveis e escapamento de titânio da Akrapovic – é da configuração deste escapamento, inclusive, que surgem os 12 cv a mais de potência.

Versão tem quadro menor e mais leve

O motor era uma preocupação da Ducati, já que não era interesse da marca promover ganho de peso na Panigale. A solução, então, foi adotar um novo quadro, menor do que o anterior e também mais leve.

Suspensões com amortecedores Öhlins NIX-30 na frente e TTX36 na traseira e na direção, semiativas com ajuste eletrônico, rodas de alumínio forjado e bateria de íons de lítio também são algumas das diferenças entre a V4 Speciale e a V4.

Freios ABS especiais para curvas, sistema de troca de marchas sem que o manete de embreagem seja acionado, modos de pilotagem de corrida, esportivo e para as ruas e uma unidade de medição inercial que reconhece mudanças de direção, inclinação e velocidade para determinar a entrega de potência no eixo traseiro também estão entre as características da Panigale V4.

Ficha técnica

Motor. 1.103 cc, quatro cilindros em V a 90°, quatro válvulas por cilindro, virabrequim anti-horário e refrigeração líquida.

Potência. 226 cv a 13 mil rpm

Torque. 12,6 kgfm a 10 mil rpm

Câmbio. Manual de seis marchas com sistema Ducati Quick Shift

Peso a seco. 174 kg

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: