Nova Africa Twin: Maior, mais potente e mais tecnológica

A Honda está desenvolvendo uma nova geração da Africa Twin, uma moto que será maior, mais potente fruto do novo motor, e que dará uso a mais ajuda eletrônicas para a tornar mais competitiva em relação às rivais.

Não é segredo para ninguém que apesar de ser um sucesso de vendas, a CRF1000L Africa Twin, moto que chegou ao mercado em 2016, adotou uma estratégia bastante diferente em comparação com algumas das suas rivais, optando a Honda por conferir à Africa Twin um caráter mais polivalente e fácil de explorar, tanto em asfalto como fora dele.

Agora que estamos chegando aos quatro anos de vida da atual geração desta trail aventureira, a Honda prepara-se para renovar profundamente a Africa Twin. Motor, design, e mesmo novas tecnologias, é tudo o que podemos esperar da versão 2020 desta moto da Honda.

Os jornalistas da revista japonesa Young Machine, habitualmente bem informados no que concerne a novidades secretas das marcas do país do Sol Nascente, publicaram recentemente um conjunto de imagens manipuladas por computador tendo por base as informações que reuniram sobre esta nova Africa Twin.

A denominação deverá passar a ser CRF1100L Africa Twin, fruto do novo motor. Mantém-se a mesma arquitetura do motor bicilíndrico, mas a cilindrada vai subir para 1100 cc, com a Young Machine a referir que a Africa Twin passa dos atuais 95 cv para 110 cv.

Mas não será apenas o motor a ficar mais encorpado nesta geração esperada para 2020!

O design, embora não seja tão alterado como se poderia esperar, passará também a revelar uma aparência mais musculada, mais desportiva, mais agressiva, para a qual contribuirá a utilização de novas luzes diurnas em LED de desenho específico. E por falar em tamanho, a próxima versão Adventure Sports pode ficar um autêntico “tanque”, pois fala-se que chegará aos 30 litros de capacidade, mais 6 litros do que a atual versão. Já a Africa Twin base passará dos atuais 18 litros para os 24 litros que encontramos na atual Adventure Sports.

Isto permitirá, em conjunto com o motor mais eficiente, e que cumprirá, claro, as mais restritivas normas Euro5, que o condutor possa usufruir da Africa Twin Adventure Sports durante mais de 600 km antes de ter de parar para atestar!

No departamento tecnológico, a Young Machine revela que a Honda pensa a nova geração da Africa Twin com uma estratégia muito mais agressiva neste particular, tendo em conta uma comparação com algumas rivais melhor apetrechadas.

Assim esperamos encontrar na Africa Twin de 2020 um novo painel de instrumentos TFT, totalmente a cores, que nos irá dar muito mais informações sobre o estado da moto, para além de nos permitir explorar as inúmeras ajudas eletrônicas que esta adventure trail terá de série, como seja o caso do controle de tração, modos de motor, ABS com função “cornering”, entre outras ajudas.

De referir que a Young Machine revela também que a nova Africa Twin será a primeira moto a equipar o novo amortecedor traseiro da Showa, uma novidade que vimos pela primeira vez no passado Salão de Milão EICMA.

Este amortecedor é controlado eletronicamente por uma centralina específica. Para além de garantir o equilíbrio do conjunto a todo o momento, ajustando as afinações em tempo real, o novo amortecedor Showa tem uma função em que diminui a altura da traseira da moto quando a mesma se encontra parada. Esta função será particularmente bem-vinda pelos motociclistas de menor estatura, pois uma adventure trail costuma ser uma moto complicada para eles devido à altura elevada do assento. Com esta ajuda eletrônica da Showa, a Honda abre o leque de possíveis utilizadores da Africa Twin a muitos mais motociclistas.