PIRELLI CELEBRA EM TURIN OS 110 ANOS DE ESPORTE A MOTOR

“Nós chegamos em Paris em primeiro, apenas trocando duas rodas”. Esse foi o texto de um telegrama enviado da capital francesa, em agosto de 1907, pelo Príncipe Scipione Borghese. Ele venceu a corrida de Pequim para Paris, em um Itala equipado com Pirelli, com uma grande vantagem sobre seus rivais. Para aquela época, naquelas estradas, foi um resultado excepcional, alcançado após 16 mil quilômetros difíceis que puniram os pilotos, carros e pneus. Foi, também, uma aventura que trouxe a atenção do público para a performance e a segurança de um produto que logo seria reconhecido pela famosa logomarca Pirelli, que agora é uma visão bem conhecida em todo o mundo.

110 anos de esporte a motor

Hoje, a Pirelli celebra o seu 110º aniversário no esporte a motor. E faz isso de uma forma que marca como os tempos mudaram. Já por muitos anos, o esporte a motor tem sido crucial, tanto para pneus de carro como de motos no que se refere ao desenvolvimento de tecnologias. A fabricante italiana de pneus se deu conta disso no fim do século XIX, quando o fundador da empresa, Giovanni Battista Pirelli, viu como corridas de motocicletas poderiam funcionar como testes para seus produtos voltados para as ruas. E é por esta razão que este marco está sendo celebrado no Museu Nacional do Automóvel de Turim, um verdadeiro ícone da história motorizada, ao longo de dois séculos. Atualmente, o local é o atual lar do Itala 35/45 HP, que venceu em Paris e marcou o verdadeiro primeiro capítulo da ilustre história da Pirelli no esporte a motor.

Um museu de prestígio genuíno

Desde o Itala do Príncipe Scipione até os novos pneus mais largos da Fórmula 1, que em breve farão a sua estreia no Grande Premio da Austrália, primeira etapa do campeonato mundial de 2017. A coleção de tesouros de duas e quatro rodas, equipada pela Pirelli, representa 110 anos de história. Mas ela também fornece uma janela para o presente, em que produtos para o esporte a motor e a estrada estão estreitamente ligados do que nunca. De um lado, um Porsche 911 S Turbo de uso nas ruas. Do outro, Lamborghini Huracán GT3 de competição. Eles simbolizam claramente as semelhanças impressionantes entre o produto P Zero de estrada e de competição. Isso representa o elevado nível da capacidade do segmento de ‘ultra-high performance’ da Pirelli.

Os pneus da Ducati do Campeonato Mundial de Superbike também caracterizam o lema: ‘vendemos o que corremos, corremos com o que vendemos’. Por muitos anos, este tem sido o cartão de visita de um produto que permite que as motos voem na pista. E está igualmente disponível para ser adquirido, em todo o mundo, pelos pilotos entusiasmados com o desempenho e segurança que ele traz para suas motos todos os dias. Este é o conceito no coração da divisão de prestige da Pirelli, que hoje equipa 50% de todos os carros deste segmento. O prestige é uma filosofia: o símbolo da missão da Pirelli como a escolha ideal para as motos e carros mais potentes, exclusivos e desejáveis ??do mundo. O sucesso em corridas em todos os cantos do planeta forma a vitrine perfeita para os produtos que agora são exibidos em Pirelli P Zero World boutiques. São lojas e centros de atendimento que atendem às demandas exclusivas da clientela mais exigente da Pirelli. O primeiro já está aberto há algum tempo em Los Angeles, nos Estados Unidos, enquanto outros estão prontos para surgir em todo o mundo.

Portas abertas à tecnologia avançada

O evento de 110 anos da Pirelli no esporte a motor também forneceu a oportunidade para que as portas do avançado complexo de Settimo Torinese fossem abertas. Por dentro, a mais avançada tecnologia da Pirelli. No coração da instalação, está o Next Mirs: sistema de produção industrial mais digitalizado que existe atualmente. Ele representa o ponto culminante do pensamento e da tecnologia de ponta, patenteado pela Pirelli. O processo é completamente robotizado e dedicado à produção de pneus de alto desempenho, com medidas entre 19 e 23 polegadas. E é onde os pneus P Zero são criados, tanto para as pistas de corrida como as estradas.

Mas Settimo Torinese não se resume a pneus completos. A planta também produz compostos, incluindo aqueles usados ??na Fórmula 1. E tudo isso acontece, como é o caso em qualquer outro lugar das avançadas instalações, com o máximo respeito e cuidado pelo meio ambiente, bem como as pessoas que trabalham lá.

Celebrando com os campeões

Para a Pirelli, a marca de 110 anos é algo para comemorar muito. Por isso, o fabricante italiano de pneus está satisfeito com a presença de tantos campeões, desde algumas das estrelas da Fórmula 1 até a lendário Alessandro Zanardi, multimedalhista de ouro olímpico que voltou às corridas e às vitórias: obviamente com Pirelli. Também presente no evento está Stefano Domenicali, CEO da Lamborghini: uma marca que denota perfeitamente a renomada transferência de tecnologia da Pirelli. Outros convidados de honra incluem o chefe da equipe McLaren de Fórmula 1 e o especialista em pneus da Ferrari. Sem mencionar os principais membros de equipes da F1, que comentaram sobre as sessões de testes dos pneus mais largos, que serão usados nesta temporada, assim como os desafios técnicos pela frente.

Tantos campeões e fabricantes para marcar as 2.200 corridas e mais de 340 campeonatos (entre carros e motos) que a Pirelli compete em todo o mundo. Esse é outro primeiro: exatamente como aquele em que Pirelli dominou há 110 anos, desde Pequim até Paris, quando o automobilismo era algo que ainda se pensava.

%d blogueiros gostam disto: