Rio faz licitação de mais de meio milhão em aluguel de motos para escolta de Crivella

O prefeito Marcelo Crivella conta atualmente com 29 policiais militares, cedidos pela corporação, para cuidar de sua segurança. O Staff vai ganhar mais um incremento que, de quebra, agilizará os deslocamentos do chefe do executivo municipal pelas ruas da cidade. É que a Casa Civil fará licitação, no próximo dia 13, às 9h, para contratar uma empresa que será a responsável pela locação de motocicletas que servirão para fazer serviço de escolta e abrir caminho no trânsito.

De acordo com o edital, serão cinco veículos utilizados na proteção de Crivella e de outras autoridades , que forem por ele designadas para receber o benefício. O gasto previsto com o pagamento do aluguel é de R$ 574, 8 mil por dois anos de contrato, de acordo com o documento.

O edital traz ainda algumas especificações. Uma delas é que as motos locadas devem ter no máximo seis meses de fabricação e cinco mil quilômetros rodados. Outra exigência é a de que os veículos tenham a cor branca e um baú ,na parte traseira, como já acontece, por exemplo, com as 178 motocicletas da Guarda Municipal (GM) do Rio. Estas últimas, no entanto, são bem mais modestas do que os veículos que serão utilizados pelos batedores. É que entre as cláusulas do contrato, que terá de ser cumprido pelo vencedor da concorrência, está a obrigatoriedade de que as motos locadas tenham no mínimo 600 cilindradas, ou seja o dobro da potência do equipamento da GM.

Segundo a Casa Civil, os guardas municipais não serão utilizados para pilotar as motocicletas locadas. Isso será feito por integrantes da casa militar do prefeito, ou seja, possivelmente policiais que tiverem habilitação para conduzir este tipo de veículo.

Procurado pela reportagem para comentar o assunto, o vereador Paulo Pinheiro(PSOL) criticou o gasto que será feito pelo município . Ele disse que entrou com um requerimento na mesa diretora da Câmara, pedindo informações sobre o caso. E, dependendo da resposta que receber, poderá entrar na Justiça para impedir a contratação.

— Temos um prefeito que foi eleito para cuidar das pessoas, mas é ele quem está precisando de cuidados. No caso, de inacreditáveis batedores para seus deslocamentos na cidade. Só nos resta ficar atentos para evitar esse tipo de desperdício de recursos públicos. Entrei com requerimento, e dependendo da resposta que receber, entrarei na Justiça contra esta contratação —disse o vereador.

Procurada, a Prefeitura do Rio informou, através da casa civil, que optou pela locação das motos citadas, e não pelas motos da GM, por conta das especificidades dos modelos necessitados e para eximir a Prefeitura de ter que arcar com o custo de manutenção dos veículos. Segundo a Casa Civil, o contrato prevê, entre outras coisas, que todas as despesas decorrentes da operação e manutenção das motocicletas, tais como tais como: lubrificação, desgastes devido ao uso ou acidente e substituição de peças e pneus, consertos, entre outros eventos, sejam de inteira responsabilidade da contratada

Para oferecer mais mobilidade para as autoridades do executivo municipal,o edital exige ainda que as motocicletas sejam do tipo Naked ( nua na tradução livre), ou seja sem carenagem. Os preços oferecidos para venda no mercado nacional, desse tipo de veículo, variam entre R$ 32 mil e R$ 43 mil. Todos os modelos têm capacidade de atingir velocidade de 0 a 100 km, em torno de quatro ou cinco segundos.

A Honda dispõe no mercado um modelo deste tipo, a CB 650 F, que atinge velocidade máxima de 180 quilômetros e que tem custo de venda de R$33,9 mil. A Yamaha tem a XJE 600 com preço de R$ 34, 2 mil. O modelo da Kawasaki é a Z 650, que custa R$ 33 mil. Outra opção é a Suzuki SV 650, também na faixa de R$ 32, 5 mil. Já o da BMW é a F.800 R, que tem preço aproximado de R$ 43 mil.

Além de ter potência e agilidade, as motocicletas que vão abrir caminho terão que de ser adaptadas com alguns equipamentos especiais como sirene e luzes de segurança. Abaixo, a íntegra da resposta enviada pela casa civil.

” A Casa Civil informa que optou pela locação das motos citadas em virtude das especificidades dos modelos necessitados e para eximir a Prefeitura de ter que arcar com o custo de manutenção dos veículos, intenção que fica clara no Termo de Referência do contrato, o qual prevê que todas as despesas decorrentes da operação e manutenção das motocicletas — tais como: lubrificação, desgastes devido ao uso ou acidente e substituição de peças e pneus, consertos, entre outros eventos —,bem como todos os acessórios instalados, serão de inteira responsabilidade da contratada. A contratada deverá ainda programar, sempre que necessário, a escala de manutenção preventiva/corretiva, de forma que não atrapalhe a prestação dos serviços contratados. Além disso, também serão de inteira responsabilidade da contratada os seguros, multas, impostos, incidentes sobre as motocicletas, assim como a franquia referente ao furto, acidentes ou roubo da viatura. É também dever da contratada prestar assistência técnica de forma que garanta o perfeito funcionamento dos equipamentos 24 horas por dia.”

 

 

 

 

Fonte: Extra

%d blogueiros gostam disto: