Salão Duas Rodas 2017 – Mais algumas fotos e vídeos

Nem faz tantos anos, o mercado brasileiro vivia basicamente de motocicletas touring, street – hoje chamado de naked – trail e sport. A não ser pela volta das scooters e pelo surgimento dos modelos clássicos – ironicamente, o único nicho realmente novo –, diversos outros segmentos foram criados a partir da mistura destes grandes gêneros. E é nessa pulverização que as montadoras tentam encontrar a senha para ter acesso ao consumidor. E o Salão Duas Rodas mostrou bem esta diversidade.

As novidades apareceram em praticamente todos os subnichos existentes e imagináveis. E criou situações incomuns. Os modelos da Harley-Davidson, por exemplo, aparecem esbanjando tecnologia, com sistemas multimídia, luzes em led e motores modernos. Enquanto isso, a BMW reforça a aposta no segmento de motos pequenas com a G 310 GS. O mesmo fez a Yamaha, que mostrou a nova Fazer 250 e uma nova versão da ainda recente Crosser 150. As veteraníssimas motocicletas da Royal Enfield apareceram com autoridade em no segmento de clássicas, onde também se fizeram presentes a Kawasaki Z 900 e a Triumph Bonneville T100 Black. Já Ducati e Suzuki deram destaque para modelos mais esportivos, a primeira com a Monster 797 e a SuperSport S. A segunda com a supertecnológica GSX R 1000R. A Honda, que tinha o maior estande da feira, também tratou de apresentar a nova geração da superesportiva CBR 1000 RR Fireblade, com 192 cv e 196 kg.

O que mais chamou a atenção, no entanto, foi um outro modelo da Honda, que era quase indefinível e que virá importada da Itália. Trata-se da X-ADV, sendo que ADV seria uma referência a Adventure e a Advantage, pois trata-se de um modelo com aptidões off-road em um conceito de motocicleta bastante arrojado. A X-ADV traz câmbio automático de dupla embreagem e corpo de big scooter, embora tenha transmissão final por corrente.

 

 

 

Contribuição:

CINEZI – São Paulo (ABC Paulista) – SP
Profissional de informática a 30 anos e Apaixonado por Motociclismo, é adepto da irmandade e da liberdade.
Participa de Moto Grupos de São Paulo, onde opina de forma direta, e auxilia a todos que necessitam de informações sobre suas experiências.
Sua primeira moto foi uma Vespa, passando pela Ténéré 600 89, Ténéré 600 88, Agrale Elefantre 30, dentre outras, e hoje viaja com sua Beatrixx, ou somente TRIXX, uma VSTROM 650 Laranja 2012, sua primeira moto adquirida 0Km, e hoje conta com 90.000 Km.

cinezi@cinezi.com.br

%d blogueiros gostam disto: