Suzuki SV650 Moto 11 by Droog Moto

Conhecidos pela escolha pouco conservadora das bases para as suas produções, os construtores do Arizona escolheram para a sua 11ª produção uma modesta (mas cheia de potencial) Suzuki SV 650 de 2003.

O objetivo de Max e Erica Droog era criar um “veículo urbano de intervenção rápida”. Por isso, a ligeireza do quadro e a excepcional resposta do incansável bicilíndrico em V da casa de Hamamtsu, constituem uma aposta ganhadora.

Com base em declarações de Max, aqui fica um resumo das alterações desta sua 11ª produção, que está à venda no website da Droog Moto por um valor de 13.000 dólares americanos.

A orientação estilística para este projeto assentava em linhas puras e duras, capazes de intimidar pelo seu aspecto rude e resistente, mas que em simultâneo proporcionasse ligeireza e agilidade para enfrentar qualquer tipo de utilização intensiva.

Por isso a transformação para a pacata Sv 650 de 2003 foi substancial, e apenas o quadro de alumínio e o motor não foram sujeitos à profunda intervenção.

A suspensão foi o ponto de partida, preparando a coluna e as mesas de direção para receberem uma forquilha completamente ajustável proveniente de uma Hayabusa, que é rematada por uma rudimentar placa de número frontal em aço que acolhe os 9 LED de iluminação, resguardados por uma proteção em rede, e que ainda serve de suporte a um estilizado e minimalista para-lamas.

Os avanços originais deram lugar a um guiador de 1⅛ polegadas equipado com punhos Biltwell e manetes CRG. Um pequeno velocímetro analógico completa o aspecto limpo da frente.

Passando ao tanque de combustível, este levou o tratamento “Mad Max” para lhe proporcionar o aspecto gasto e batido pelas batalhas contra os elementos. O mesmo procedimento foi aplicado no quadro, não sem antes lhe terem cortado o sub-quadro original, que foi substituído por outro de uma só peça, integralmente fabricado em chapa, e que proporciona uma aspecto mais “leve”, que também acaba por fazer o conjunto parecer bastante mais pequeno.

Também o radiador foi substituído por outro de maiores dimensões, que recebeu protecções específicas e mais robustas. A linha de escape foi completamente redesenhada, e os colectores foram envoltos em fita térmica rematada por protecções em alumínio.

As rodas receberam uns “implantes” de alumínio que promovem um aspecto mais robusto, sobretudo quando rematadas com os pneus Metzler Karoo, eficazes tanto numa escapadela pelo deserto, como numa utilização urbana.

%d blogueiros gostam disto: