Venda de motos cresce 8,7% no acumulado até setembro

venda de motos em setembro somou 74,1 mil unidades, registrando média diária próxima a 3,9 mil assim como em agosto. No acumulado do ano foram emplacadas 696,1 mil motocicletas, 8,7% a mais que nos mesmos nove meses do ano passado. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.


– Faça aqui o download dos dados da Fenabrave

A manutenção da média diária e outros fatores levaram a Fenabrave a elevar sua projeção anterior, feita em julho. Em vez de 917 mil unidades a entidade estima agora 935,4 mil motocicletas emplacadas até o fim do ano, o que resultará em alta de 10% sobre 2017.

“Isso se deve à elevação do índice de confiança e à melhora na aprovação de crédito. Temos agora em média três propostas de financiamento aprovadas a cada dez fichas preenchidas. Algum tempo atrás eram duas a cada dez”, afirma o vice-presidente da Fenabrave, Carlos Porto.

 

Do total emplacado até setembro, 552,8 mil unidades eram motos Honda, o equivalente a 79,4% do segmento. A marca cresceu 10,5% no período, portanto acima da média de mercado. As quatro motos mais vendidas no Brasil são Honda: CG 160, Biz, Bros, Pop e PCX. Em quinto vem a Yamaha 150 Factor/Fazer.

A Yamaha se aproximou das 95 mil motos nestes nove meses e anotou crescimento de 10%, também acima da média. A atual número 3 em vendas é a Haojue, com 7 mil motos emplacadas e alta de 370% sobre igual período de 2017, ano em que suas motos começaram a ser montadas em Manaus, dividindo endereço com a J.Toledo Suzuki.

A BMW teve no acumulado do ano 5,1 mil unidades e anotou leve alta de 5,7% sobre o mesmo período do ano passado. A Kawasaki foi beneficiada por novos modelos. Teve 4,3 mil unidades vendidas, crescendo 26,9% e roubando o sexto lugar da Harley-Davidson.

%d blogueiros gostam disto: