Coluna do Motoca – Corrente de transmissão

Corrente de transmissão, como limpar e lubrificar?

 

 

Esta dúvida todo mundo tem, como lubrificar a corrente da motocicleta de maneira correta?

Como escolher a melhor opção se, ao utilizar óleo, a roda traseira fica com manchas, e a graxa termina acumulando sujeita na corrente? Também existem as dúvidas sobre o tempo para lubrificação. Os fabricantes indicam que a cada 400 km rodados deve-se lubrificar, mas como os pilotos de motocross e trilheiros não tem odômetro e andam em situações extremas, deve considerar, além do tipo de uso da moto (off-road ou asfalto), o clima, se é muito quente ou frio.transmissao-1

 

Sistema de Transmissão: Corrente, Coroa e Pinhão

Devemos primeiro nos atentar para qual fim usamos nossas motos para trabalho, lazer ou competição? Pois para cada tipo de utilização existem produtos específicos no mercado, por exemplo para produtos para competições normalmente só funcionam em altas temperaturas ou com exigência máxima de desempenho, portanto não serão os mais indicados para as motos “normais”, pois eles buscam privilegiar o desempenho e não a conservação do sistema de transmissão secundário, se você utiliza sua moto para trabalho, lazer, deve pensar principalmente em manter e conservar o sistema de transmissão em boas condições, e se busca desempenho, alem de manter a conservação, terá de ter um cuidado a mais para pode utilizar o máximo de desempenho que o kit de relação permitir.

 

Vimos acima que enfrentar trilhas e corridas exige obviamente um produto que funcione em altas temperaturas. No entanto, isso visa apenas ao desempenho máximo da moto e não à conservação da corrente. O excesso de óleo também não é o indicado, sendo que o excedente pode pegar no pneu e aumentar o risco de queda do motociclista. Se a preferência é lubrificar com óleo, escolha o que tenha consistência mais viscosa (SAE 90), evitando, assim, um detalhe importante: que o óleo entre no pinhão e dê a impressão de vazamento.

 

transmissao-2Um spray lubrificante, no entanto, surge como a salvação para aqueles que realmente detestam ver a roda suja, e representa também o que existe de melhor no mercado. “O ‘Chain Lub’ foi projetado para a aplicação em correntes. Ele é muito bom porque gruda na corrente; e esse não suja.

 

Utilizando graxa, uma boa pedida é a náutica, ou graxa branca (atente-se se a sua corrente não possui retentores, caso possua ignore as graxas pois as mesmas não penetram dentro do retentor), não sai com água e, segundo os fabricantes, é óleo hidrogenado que, com o calor, derrete e executa perfeitamente sua função de lubrificar. O ponto negativo é que acumula sujeira. Isso pode gerar sérios danos no conjunto de relação, e custa caro trocar. Por isso, o importante é prestar atenção quanto à limpeza da corrente, periodicamente. A graxa com grafite, segundo especialistas, pode não ser uma boa escolha, pois é abrasiva e se acumula entre a corrente e o pinhão, formando “calos” na coroa por causa do atrito.

 

transmissao-3Na hora de aplicar, deve-se dedicar um tempo, pois é preciso fazer a limpeza do óleo anterior, e evitar usar gasolina pura – o que é muito comum –, que resseca os anéis de borracha das correntes mais modernas. Uma dica para contornar esses problemas é usar querosene misturado com água e sabão líquido. E, quanto mais estrada de chão, mais frequente deve ser a lavagem, para evitar que a sujeira acumule e seja abrasiva.

 

Cuide do seu sistema de transmissão, cheque a folga, a lubrificação, e o estado de conservação, ninguém quer ficar parado numa trilha, ou no meio do trânsito por detalhe como esse, mas o mais importante é a sua segurança, ande, divirta-se e sinta a liberdade que somente a moto pode proporcionar, com a sabedoria e segurança.

 

 

É isso ai..

 

Seu amigo, MOTOCA !!

 

personagem_motoca-1

Deixe já o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: