Coluna do Motoca – Tema: O vento

Meus amigos, gostaria de abordar um tema aqui que vivencio quase todos os dias, principalmente na época do verão no Rio de Janeiro e que de certo ocorre em outras regiões não somente no verão, mas como vou abordar o Rio de Janeiro, é no verão que mais ocorre, “O VENTO”.

ponte_materia

Pilotar uma motocicleta com vento, e como exemplo, vou citar o local aqui no Rio de Janeiro onde presencio alguns erros básicos na pilotagem, erros que podem gerar acidentes, que se compreendido, certamente os evitará e também acabará com o medo que este provoca.

Ponte Rio x Niterói, normalmente a partir das 15h no verão e isto é quase uma constante, sopra um vento sul ou oeste de intensidade média ou forte, é normal nesta época do ano, faço a travessia desta ponte duas vezes ao dia, resido em Niterói e trabalho no município do Rio de Janeiro e com sol ou chuva, a motocicleta é o meu transporte.

Percebo diariamente o “desespero” de muitos motociclistas nesta travessia, não é para isto, relaxe, é apenas mais um desafio e você tem todos os meios para se sair bem.

Vou dar 10 dicas básicas para se atravessar a ponte sem estresse, espero que ajude !

Dicas:

Primeira: Não tenha “MEDO”, o vento não derrubará sua motocicleta, seja ela de baixa, média ou alta cilindrada, exceção se dá para ciclone ou furação! Emoticon smile

Segunda: Mantenha uma velocidade constante, entre 70 e 90 km, sua motocicleta estará estabilizada. Mantenha seus pneus sempre calibrados de 2 a 3 psi a menos, isto lhe dará mais aderência e estabilidade nestas condições.

Terceira: Possivelmente na entrada da “grande curva” sentido Niterói receberá umas “rajadas”, não se apavore é a natureza te avisando, “tá ventando”. O mesmo acontece na subida do “vão central” e durante toda a subida.

Quarta: Relaxe, não se agarre no guidão, segure-o normalmente, leve e tranquilo.

Quinta: Não pilote pela faixa da direita, vá para a pista da esquerda, ao lado da mureta, a mureta atua como um amortecedor, o vento bate na mureta, retorna e amortece a próxima rajada, você notará a diferença, a motocicleta pode oscilar para esquerda, mas se a velocidade estiver entre 70 e 90km/h é tranquilo, trafegue mais à direita nesta faixa.

Sexta: Evite pilotar atrás ou ao lado de ônibus, caminhão e vans a turbulência gerada por eles, mais o vento, tornará sua pilotagem bem mais desconfortável.

Sétima: Após a Ilha do Mocanguê, as rajadas de vento são mais fortes se o vento for sul, e deve-se ter atenção, pois a ilha faz uma parede e se percorre um bom trecho sem vento, e de repente leva-se um susto com estas rajadas. O percurso acaba e você chegou a Niterói inteiro.

Oitava: Sentido Rio de Janeiro, dificilmente o vento o atrapalhará se você se mantiver na pista da esquerda e com velocidade entre 70 e 90km/h, cuidado especial na curva do gasômetro, existem grandes rajadas neste trecho, relaxe, mas fique atento.

Nona: Evite a ponte durante tempestades com ventos “sudoeste” as famosas tempestades de verão, ou “nordeste”, aquelas que vem da serra, a pilotagem é quase impraticável e normalmente a ponte fecha, acontecem a tardinha e passam rápido, vale esperar 1 ou 2 horas até passar.

Décima: Nestas situações acima, mantenha sempre a calma, fique atento no trânsito, ao trafegar na esquerda, dê passagem para veículos mais rápidos e retorne, tenha confiança em você, conheça sua motocicleta e confie nela também.

Pilotar deve ser um prazer, as vezes é tenso, mas compensa !

Abraços fraternos,

Motoca

personagem_motoca-1

Deixe já o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: