Os óculos de sol e o motociclismo – proteção e estilo ou ameaça?

A proteção é a razão pela qual usamos óculos de sol. Seja protecção dos raios UV, seja das poeiras, seja até a proteção da identidade. E claro, também se usam óculos de sol por meras questões de estilo.

No entanto, aos comandos de uma moto, os óculos são um factor de protecção vulgarmente menosprezado, apesar de constituírem uma inquestionável ajuda sob diversos aspectos. A questão está precisamente no tipo de óculos que usamos.

Obviamente há que ter em conta a utilização que se lhes pretende dar!

Primeiro há que ter em conta o tipo de moto que se conduz, e o tipo de proteção que ela oferece. Entre uma moto “naked” e uma turística, a diferença está na proteção que oferecem. E se nas primeiras todo e qualquer objecto ou insecto pode colidir diretamente com os nossos olhos, uma turística com ecrã elevado já confere algum nível de proteção.

Depois há que ter em conta o tipo de capacete. Um modelo aberto (jet) ou um retro (sem viseira) não oferecem nenhuma protecção ocular, pelo que esta só pode ser conseguida à custa de uns óculos (ou de uma versão mais específica para enfrentar velocidade, que são os goggles). Um capacete integral ou modular que não seja específico para fora de estrada, normalmente não permite a utilização de goggles.

Igualmente importante é determinar previamente as condições meteorológicas e as horas do dia em que vai andar de moto, já que com nevoeiro, chuva ou durante a noite, a utilização de óculos fica bastante condicionada.

Obviamente que quem usa lentes graduadas necessita ainda de mais cuidado na escolha dos seus óculos para andar de moto.

Armações

Tudo começa pelo tamanho e design dos óculos. Se é protecção que queremos dar aos nossos olhos, então que essa protecção seja grande!

Aros grandes cobrem uma maior área, proporcionando um maior escudo, protegendo melhor dos insectos, poeiras e do vento. O vento além de poder causar secura nos olhos, arrasta consigo, além de poieras, pólens e outras substâncias alergénias que podem, no mínimo, estragar um bom passeio a qualquer motociclista mais hipersensível, imonulógicamente falando!

Aros grossos serão sempre mais resistentes ao impacto, e hastes igualmente grossas além de mais resistentes, em caso de se quebrarem, têm uma menor capacidade perfurante.

Aros e hastes metálicas não são, de forma alguma, recomendados. Além de correrem um maior risco de se deformarem quando guardados num bolso ou mochila, um objecto de metal ali tão perto dos olhos pode causar (e tem causado!) graves ferimentos em caso de acidente. Escolha armações em policarbonato, muito mais resistentes e leves.

A forma como os aros se adaptam ao formato do rosto também é importante, pois quanto mais encostados ficarem, mais protegem. Modelos de óculos específicos para motociclismo até incluem frequentemente almofadas em material flexível que garantem uma maior protecção e ainda mais conforto, já que, ao usar capacetes abertos, a pressão do ar contra as lentes causa um contacto directo e por vezes bastante forte dos aros contra o rosto, pressão essa que aumenta na proporção directa da velocidade e do tamanho dos aros.

No acto de escolha, esteja atento aos pontos de apoio no nariz e nas orelhas. Verifique se as hastes são compatíveis com o seu capacete (deve sempre experimentar os óculos com o capacete antes de os comprar, mesmo que o seu capacete esteja especificamente preparado para uma utilização com óculos, e tenha canais para acolher as hastes) e se este não faz levantar ou aumentar a pressão nos pontos de apoio. Verifique se, ao baixar-se e ao sacudir a cabeça, os óculos se mantêm no seu lugar!

Não se esqueça que o capacete deve estar sempre bem apertado com o fecho de segurança, facto ainda mais importante quando utiliza óculos, já que qualquer movimento do capacete pode aproximar os óculos perigosamente aos seus olhos.

 

Goggles

Os goggles, são sobretudo usados pelos “offroaders” por diversas razões, sendo a principal a capacidade que eles têm de impedir que corpos estranhos atinjam os olhos.

Motociclistas que usam óculos graduados também recorrem frequentemente aos goggles, sobretudo em condução à chuva em ambiente urbano, por estes evitarem que as lentes embaciem.

Actualmente no mercado existem diversos tipos de goggles, uns de design mais “retro”, com duas lentes separadas, e outros mais convencionais, mais flexiveis, de lente única, destinados sobretudo à prática do “todo-o-terreno”. São estes que também permitem ser usados por cima de óculos graduados.

Goggles de qualidade oferecem a possibilidade de substituição rápida das lentes, disponibilizando diversas cores e propriedades, inclusivamente alguns modelos permitem a utilização de lentes graduadas.

Se tem um capacete aberto e quer comprar uns goggles, deve sempre levar o capacete consigo para os testar em conjunto.

 

Lentes

O outro factor importante numa escolha de óculos para motociclismo é o tipo de lente.

A primeira regra a respeitar é a de excluir imediatamente qualquer lente de vidro (mineral). Em caso de impacto, o vidro fragmenta-se, e no caso de ser atingido por uma pequena pedra, os seus estilhaços (e eventualmente também a pedra) vão causar danos graves, provavelmente irreversíveis, no globo ocular.
Pela mesma razão, as lentes de plástico também devem ser evitadas.

A alternativa ideal são as lentes em policarbonato, o mesmo material usado nas viseiras dos capacetes de qualidade. Tornam os óculos mais leves, mais resistentes aos impactos e, sobretudo, não estilhaçam. Alguns fabricantes produzem lentes com especificações “balísticas” capazes de resistirem incólumes a impactos inacreditavelmente elevados.

A protecção contra os raios Ultra Violeta é outra das características que deve ter em conta, e nesse aspecto, o policarbonato também apresenta vantagens, pois absorve naturalmente as frequências curtas dos raios UV.
Claro que há diversos tipos de policarbonato, e diversos tipos de acabamentos que são acrescentados às lentes, e que melhoram substancialmente a resistência ao impacto, a sua longevidade e o conforto de utilização. Tratamentos anti-risco, anti-reflexo e anti-embaciamento são os mais comuns.

A cor das lentes depende em muito das preferências pessoais. No âmbito do motociclismo deve reter que as lentes cinzentas ou fumadas são as que conferem uma imagem mais natural, e as amarelas ou castanhas são as que proporcionam um melhor contraste em dias nebulosos e em condições de nevoeiro. As demais cores servem apenas para proporcionar dias mais coloridos. No entanto, o importante é que as lentes, a par com a redução da intensidade luminosa, consigam aumentar o contraste da visão.

Por isso existe uma vasta oferta de lentes “polarizadas” (normalmente mais caras) que reduzem significativamente a luz refletida, o que proporciona uma maior nitidez e uma significativa redução da tensão ocular, pois tornam a visão mais detalhada ao diminuir o brilho e os reflexos.

Para ter a certeza que determinadas lentes são verdadeiramente polarizadas, basta olhar através delas para o seu telemóvel. Rodando a lente polarizada, vai verificar que a imagem escurece à medida que é rodada. Se a imagem se mantiver inalterada, as lentes não são polarizadas.

Uma outra opção que lhe podem propor é a das lentes foto-cromáticas. Neste caso deve ter em conta o tempo de reacção da camada fotossensível. As lentes escurecem em função da quantidade de raios ultra-violeta que recebem, e clareiam na sua ausência, mas o processo demora alguns segundos. Por isso, num dia de muito sol, entrar num túnel pode merecer especial atenção. Posicionando-se no topo da escala de preços, não são lentes recomendadas para quem tenha tendência a perder óculos frequentemente.

Por falar no preço, este tem geralmente uma relação directa com a qualidade óptica das lentes. Uma lente que provoque deformações de imagem causa, ao fim de pouco tempo de utilização, elevados níveis de tensão ocular, e a largo prazo uma relevante perda de visão. Lentes de má qualidade são facilmente identificáveis, bastando para isso rodar os óculos a diferentes distâncias por cima de qualquer superfície impressa e observar a distorção da imagem.

Se usa lentes com graduação, fique desde já a saber que alguns fabricantes de óculos de sol, específicos para motociclismo, podem fornecer lentes personalizadas de acordo com as suas necessidades.

 

 

 

Fonte: andardemoto.pt

%d blogueiros gostam disto: