Moto Turismo – Cambuquira, MG

No inicio do mês de abril fui fazer um curso de off road para big trails em Cambuquira, MG e como tínhamos tempo para ir com calma, resolver fazer um passeio mais longo, passando por algumas estradas secundárias e com belas paisagens.

O roteiro foi feito pelo Beto e foi o seguinte: Rio de janeiro, Mangaratiba (Serra do Piloto), Rio Claro, Bananal (estrada do sertão e rodovia dos tropeiros), São José do Barreiro, BR 354 (Serra Garganta do Registro), São Lourenço e Cambuquira.

Roteiro combinado, horários combinados e agora era esperar o dia e curtir a viagem.

20160401_081609

Trechos de estradas que pareciam verdadeiros tapetes e outras que não tinham nem asfalto, grandes tetas e muitas curvas nas serras.  Então pudemos aproveitar e desfrutar ao máximo.

Pegamos um pouco de transito em Santa Cruz, afinal era dia de semana, mas nada que atrapalhasse as motos. Apesar de o dia ter amanhecido muito bonito no RJ, em Santa Cruz havia caído uma chuva antes de passarmos, logo depois o tempo melhorou e esquentou muito.
Quando chegamos em Mangaratiba, pegamos a serra do piloto e tivemos que dar uma parada no mirante imperial para curtir o belo visual. Batemos um bom papo, bebemos água, fizemos um lanche e seguimos a viagem. Alguns trechos dessa serra estão em terra e com buracos e cascalhos, mas claro que nossas motos passaram na boa.

20160401_095341
Passamos por belas paisagens, casas rusticas, pequenas cidades e vilarejos, cidades com grande significado histórico, belas igrejas e antigas estações ferroviárias.

A fome estava apertando, mas antes da parada do almoço, pegamos várias estradas sendo reformadas, vários trechos com siga e pare, muitos caminhões da obra e claro, buracos e poeira.
Almoçamos no restaurante Rancho em São José do Barreiro. Comida mineira de primeira, um restaurante em uma casa antiga com fogão a lenha e farta variedade de comida. Comida a quilo e com um preço justo.

20160401_124605

Hora de descansar um pouco, beber um café, bater um papo com os moradores que estavam olhando as nossas motos e depois voltar para a estrada.

Agora as obras acabaram e pegamos só asfalto e a próxima parada era na Serra Garganta do Registro. Paramos ao lado de uma fonte e em frente as tradicionais lojas de queijos e artesanatos. Descansamos um pouco bebemos água pura da fonte e continuamos a viagem, mas alertei a todos que estava para entrar na reserva e precisa parar em um posto.

 

Pegamos a serra, com ótimas curvas e praticamente sem transito algum e isso deu para aproveitarmos bem as curvas, rsss.  Paramos para abastecer e logo depois Serra de Itamonte e último trecho até Cambuquira. A serra de Itamonte é simplesmente maravilhosa, um tapete, com ótimas curvas para serem feitas de moto.

Chegamos em Cambuquira já era a noite e ainda tínhamos que desmontar as motos para o curso que vinha pela frente.  Ficamos hospedados na pousada Lua Luana, que pertence a um motociclista. A pousada é muito aconchegante, administrada por uma família sensacional, que nos deixam completamente à vontade e claro que não posso deixar de destacar a comida de primeira e o excelente café da manha.

Além das pistas de curso de off road, a pousada oferece:

* Piscina para adultos e crianças.

* Salão de Jogos.
* Sauna.
* Acesso de 200m. Todo Cascalhado e sem lama.
* A água que abastece a pousada é proveniente de minas próprias.
* Campo de Futebol Gramado próximo à pousada com uso franqueado aos hóspedes.
* Quadra de Voley de Areia.
* Pomar com frutas da época.
* Quiosque com churrasqueira.
* Leite ao pé da vaca.
* Charrete e Cavalos ( Reservar com antecedência)
* Aluguel de bicicletas.
* Caminhadas em meio à maravilhosa trilhas

* Wifi

 

Pousada Lua Luana

Rod. Vital Brasil, km 348, Cambuquira – MG, 37420-000

+55 35 3251-1861 / 9989-1058

http://www.lualuana.com.br/

Coordenadas para GPS: -21,88624, -45,29163

Na noite de sábado houve um churrasco de confraternização do curso, para que houvesse um entrosamento maior entre todos e também entrega do certificado de conclusão do curso.

20160402_210712

20160403_071815

No domingo, tivemos curso pela manhã e depois hora de arrumar tudo e preparar para o retorno.

Saímos da pousada por volta das 16hs e optamos pelo caminho mais curto, mas ainda tínhamos mais de 300 km até o Rio de Janeiro, em estrada travada, com serra e muitas curvas.

Voltamos em 8 motos e mal pegamos a estrada e já pegamos um acidente com um caminhão. A Estrada estava fechada pois quebrou um dos eixos e ele ficou atravessado na pista, mas como estávamos de moto, passamos por um estreito pedaço que sobrou.

Demos uma parada nas lojas de queijo na Serra Garganta do Registro para fazer umas comprinhas e depois seguir viagem.

20160403_185113

Na descida da serra, um susto, um cachorro atravessou na frente das motos e quase causou um acidente.

Pegamos boa parte da estrada a noite e chequei em casa aproximadamente as 0hs.

Sobre Cambuquira

Em meio às Montanhas, o Parque das Águas com seis fontes de água mineral com propriedades terapêuticas

Cambuquira uma  Estância Hidromineral, um refúgio em meio às montanhas do sul de Minas, a 950 metros de altitude, a origem da cidade foi no atual Largo de São Francisco, onde existia uma fazenda, a Boa Vista deixada como herança para escravos pelas irmãs Ana, Joana e Francisca da Silva Goulart. A descoberta de fontes de água mineral na propriedade atraiu muitas pessoas em busca de suas propriedades terapêuticas.

O local foi liberado para visitação, o que estimulou o desenvolvimento do povoado nos arredores, fundou-se o Arraial de Cambuquira, erigido em distrito de Campanha. Em 1894 foi inaugurada a Estrada de Ferro, levando progresso e expandindo a população. Cambuquira foi decretada município no dia 12 de maio de 1909. Nas décadas seguintes, o turismo na cidade desenvolveu-se em ritmo intenso, levando-a ao título oficial de Estância Hidromineral.

Cambuquira foi uma das primeiras cidades projetadas do Estado, com ruas largas, calçadas amplas e arborização selecionada, na primavera, as flores de centenas de árvores de magnólia perfumam a atmosfera da cidade e é uma atração à parte. Sua economia baseia-se na cultura do café, pecuária, turismo e indústria de água mineral para exportação, possui um observatório astronômico utilizado para pesquisas e estudos universitários. As principais atrações da cidade são o Parque das Águas com seis fontes de água mineral (ferruginosa, alcalina, magnesiana, sulfurosa, gasosa e com lítio), as fontes do Marimbeiro e do Laranjal (nas cercanias da cidade) e o Pico do Piripau, a 1 300 metros de altitude, de onde decolam pilotos de parapente e asa-delta, oferecendo também a tradicional culinária mineira, às famosas pizzas na pedra e demais pratos da cozinha italiana.

 

 

Foi um fim de semana corrido e cansativo, mas muito bom, com ótimas companhias, fazendo novos amigos e rodando quase 1.000 km.

Agradeço a companhia de todos tanto na ida quanto na volta e deixo aqui meus parabéns ao Beto pelo excelente roteiro criado e pelo grande guia que é.

Até o próximo passeio.
Tony Cavalcanti

 

 

Veja mais fotos clicando aqui!

 

Deixe já o seu comentário

%d blogueiros gostam disto: